PEÇAS







21 de ago de 2009

SARAMENHA










SARAMENHA - original

“TERRA, ÁGUA, FOGO, AR – CERÂMICA: Magia do fenômeno da química na transformação da matéria e atividade milenares que sempre serviu as necessidades elementares do homem”.
“As mãos hábeis e ágeis tocam o bloco de argila que gira no torno. Há uma concentração quase religiosa: apenas as danças das mãos vão caprichosamente dirigindo a moldagem, o ritmo uniforme dos pés acionando o pedal que faz girar o torno. É um dos momentos mágicos da criação da cerâmica. É uma espécie de alquimia que, simbolicamente, repete o ritual da criação do mundo. O que era barro informe ganha alma, transfigura-se em objeto de linhas precisas e delicadas”.
“Não deixem meu trabalho acabar”
Mestre Bitinho

_______ Com pleno domínio das técnicas de Cerâmica Saramenha, o jovem Leonardo Ricardo dos Santos é o herdeiro de um conhecimento secular, que diligentemente repassa para um grupo de artesãos, na cidade de Ouro Branco.
Leonardo foi discípulo de Silvestre Guardiano Salgueiro – o Mestre Bitinho – último artesão de uma linhagem familiar, cujas raízes remontam ao início do século XIX.
Com o falecimento de Mestre Bitinho em 1998, encerra-se o ciclo histórico de um dos mais belos exemplos de artesanato de Minas. E, com a responsabilidade de preservar os conhecimentos que lhe haviam sido confiados, Leonardo abre um novo ciclo da Cerâmica Saramenha. Repassando suas técnicas para outros artesãos, dá continuidade à tradição, como um novo patamar artístico, na perspectiva de resgatar uma arte que já se perdia no tempo, dando a ela plena visibilidade.
O OFÍCIO
A Cerâmica Saramenha, tal como foi produzida em Minas, tem origem nos primeiros anos do século XIX. Depois de um longo aprendizado em Portugal, o artista-padre Viegas de Menezes vai para Ouro Preto, estabelecendo uma oficina na localidade de Saramenha. A região era extremamente carente desses apetrechos domésticos, uma vez que a fragilidade das louças dificultava sua importação da Europa.
A iniciativa do Padre Viegas chegara para suprir as necessidades da região. Por suas características especiais, conquistou de imediato o mercado, tornando-se conhecida com a denominação de Cerâmica Saramenha. Muito apreciados pelos integrantes das missões científicas estrangeiras que ao correr do século XIX percorreram interior do Brasil chegando a Minas Gerais, os produtos da Cerâmica Saramenha foram por eles chamados de 'louça bárbara', dada a singularidade de sua beleza rústica, em oposição à sofisticação dos produtos europeus.

LOUÇA SARAMENHA.
Barro (argila): da cidade de Ouro Branco, mais
pó de pedra sabão.
Técnica: Torno e modelagem
Forno: A lenha
Temperatura: 700oC a 900oC
Esmalte: CHUMBO,oxido de manganês e Oxido de cobre
Peças: Decorativas

Releitura da Louça Saramenha.
Barro: argila de alta temperatura industrializada.
Técnica: Torno
Forno: Elétrico
Temperatura: 1263oC (cone 8)
Esmalte: Engobe amarelo , com esmalte industrializado
Peças Decorativas e Utilitárias
Meus trabalhos

Um comentário:

  1. Fico feliz em saber que a ceramica alcançou uma luz no fundo do tunel, mas deveriam pesquizar mais a fundo sobre dicipulos, na minha cidade Conselheiro Lafaiete conheço um dicipulo de mestre bitinho com um grande ou maior padrao de qualidade seu nome é Rosemir Hermenegidio visitem seu site www.rhceramicasaramenha.xpg.com.br

    ResponderExcluir